sintra

A Vila

Sintra repousa no excepcional sincretismo conseguido entre a Natureza e os antigos monumentos, bem como no pioneirismo dos sonhos arquitectónicos que suscitou, nomeadamente no âmbito do Romantismo. Em Portugal não há nenhum lugar parecido com Sintra. Na Europa, mesmo em todo o Mundo, torna-se difícil encontrar um paralelo exacto, pela sua complexidade e, também, pelo característico sincretismo aqui verificado entre Património Natural e Património Construído.

No entanto, poder-se-iam evocar algumas regiões da Europa Central, onde se edificaram soberbos, palácios românticos durante os anos 60 do século XIX, rodeados de paisagens magníficas. Mas deverá recordar-se que o Palácio da Pena, em Sintra, protótipo do Romantismo Europeu na exuberante mistura de estilos, com os seus ecos exóticos e medievais, precede os seus congéneres alemães em, pelo menos, um quarto de século. Além da paisagem natural que, até longe, o envolve, situa-se no centro de um parque único no seu género, constituído por milhares de árvores reunidas nas quatro partes do mundo. Fenómeno esse que, de algum modo, se revela também no Parque de Monserrate.

Por todas estas razões - e ainda por muitas outras - Sintra verdadeiramente mereceu ser classificada, pela UNESCO, como Património Mundial, tendo ficado inscrita sob a designação "Paisagem cultural de Sintra".